AIS PEnnHIP

A CHAVE PARA REDUZIR A DISPLASIA COXOFEMORAL CANINA

O Problema

Displasia Coxofemoral Canina (DCC)

       É a doença hereditária ortopédica mais comum.

       Leva à artrose do quadril causando dor, claudicação e diminuição da qualidade de vida.

       Não existe cura médica ou cirúrgica.

       Afeta mais de 50% dos cães em algumas raças.

       Clinicamente afeta cães de raças grandes mais severamente do que raças menores.

Fator chave

         Lassitude Articular

 

       Na década de 1980, um grupo de pesquisadores da Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Pensilvânia desenvolveram um método mais eficiente para avaliar a lassitude articular do quadril - fator chave para o desenvolvimento da Displasia Coxofemoral Canina (DCC). Os estudos mostraram que cães com alta lassitude articular do quadril apresentam maior risco em desenvolver à displasia quando comparado com cães de baixa lassitude articular.

Solução

        AIS PennHIP Hip Improvement Program


       As pesquisas e exames de triagem feitos pelo PennHIP provaram ser o método de maior precisão para mensurar a lassitude articular do quadril. Cães susceptíveis a desenvolver displasia coxofemoral podem ser identificados a partir de 16 semanas de idade. Isso oferece ao criador a oportunidade de tomada de decisão precoce na sua criação e permite que o veterinário aconselhe o proprietário do cão no ajuste do seu estilo de vida e estratégias preventivas para minimizar a dor e progressão da doença.

Exame do PEnnHIP

      Existem duas principais inovações no método do PennHIP. Primeiro, o cão é posicionado na mesa de raio-x com as pernas em posição neutra, e segundo, uma distração é aplicada para revelar a máxima lassitude do quadril. Para conseguir isso, os músculos devem estar completamente relaxados pela administração de sedação ou anestesia geral. 

      O veterinário deve completar um treinamento especializado e efetuar exercícios de controle de qualidade antes de tornar-se certificado a realizar o exame do PennHIP.

     O exame completo do PennhIP inclui a sedação/anestesia, as três radiografias e envio para a ANTECH Imaging Service para avaliação.

Radiografias do PEnnHIP

    O exame do PennHIP inclui três radiografias separadas. Acima o exemplo das três radiografias do PennHIP de um labrador de 15 meses de idade.

        Radiografia em extensão

      As pernas do cão são posicionadas em extensão. O PennHIP utiliza a radiografia em extensão para identificar sinais de osteoartrose (OA).

      Este é o posicionamento padrão para avaliar a lassitude articular (subluxação) e presença de artrose no coxal. Usado pelo tradicional sistema de avaliação da displasia. Neste exemplo acima, não vemos sinal de artrose ou subluxação (foto 1).

      Com a projeção em extensão você consegue detectar a presença de artrose porém este não é o melhor método para avaliar a lassitude articular.

       Radiografia em compressão

       As pernas do cão são posicionadas de maneira neutra onde a cabeça do fêmur fica encaixada no acetábulo.

      Esta projeção é usada para identificar locais importantes da anatomia do quadril e determinar o quando a cabeça do fêmur esta dentro do acetábulo.

       Radiografia em distração 

        O cão é posicionado da mesma forma que na radiografia em compressão, com os membros pélvicos em posição neutra e um aparelho especial é usado para revelar a lassitude articular.

      Este é um posicionamento exclusivo do PennHIP que permite mensurar com precisão a lassitude articular máxima.

      Quando comparamos a radiografia do exemplo na projeção em extensão (foto 1) com a projeção em distração (foto 3), vemos que a projeção em distração revela uma lassitude articular muito maior.

Escore do quadril e interpretação dos resultados

Seu veterinário credenciado pelo PennHIP ira enviar as três radiografias  para a ANTECH Imaging Services para análise dos especialistas.

          Índice de Distração (ID) 

        O ID é a medida da lassitude articular - medida entre a distância da cabeça femoral e o acetábulo na radiografia em distração - expressa em números entre 0 e 1. ID próximo de 0 indica mínima lassitude articular e ID próximo de 1 indica alto grau de lassitude. Cães com lassitude articular baixa são menos propensos a desenvolver a displasia.

        Artrose

       A análise do PennHIP também inclui a avaliação de artrose pela radiografia em extensão, confirmando o diagnóstico de displasia caso esteja presente.

 

         Lassitude racial e ranque individual

        Baseado no ID seu cão é ranqueado com os demais cães da sua raça que passaram pelo PennHIP. Para criadores esse ranque ajuda a selecionar  candidatos à reprodução.

Selecionando cães reprodutores com ID baixos você reduz o risco de displasia nas gerações futuras.

PennHIP - Fazendo a diferença

        PennHIP é o mai sensível método de triagem do quadril e pode ser usado com segurança em cães a partir de 16 semanas de idade. Uma estimativa precoce da integridade do quadril seja o cão para trabalho, para criação ou cão de companhia.

         Para criadores


        Informações do banco de dados do PennHIP permite  seleção de reprodutores com baixa lassitude articular comparando com todos os cães da mesma raça que passaram pelo PennHIP. Os criadores podem reduzir a incidência e severidade da displasia coxofemoral canina em futuras gerações selecionando cães com baixa lassitude.

        Para cães de serviço ou trabalho 

      Os investimentos em treinamento de cães de trabalho/serviço são imensos, desta forma, as organizações de cães de trabalho são as primeiras a adotarem o PennHIP como o principal para avaliar o quadril. 

 

        Para cães de companhia


       Se o seu cão for identificado como risco para DCC seu veterinário pode recomendar ainda nos primeiros meses de vida estratégias apropriadas (dieta, medicação e/ou atividades) para retardar ou diminuir o curso da doença.

​​​ScanVet  2018| Todos os direitos reservados